Nossa história

“A Associação Aventura de Construir” nasceu em 2011, quando a italiana Fondazione Umano Progresso (FUP) decidiu ajudar os microempreendedores da zona oeste de São Paulo atendidos pela Associação dos Trabalhadores Sem Terra (ATST), já que o índice de microempreendedorismo dessas áreas era aproximadamente o dobro da média nacional (pesquisa internacional: FOLLONI, BERLOFFA, SCHNYDER – 2010)

Contrariamente a outros movimentos de “Sem Terra”, o objetivo da ATST é ajudar as pessoas a comprar legalmente o terreno para construírem sua própria casa, valorizando os esforços sem substituir-se a eles.

E por que uma Fundação de Milão se interessou por uma associação que luta pela moradia na zona oeste em São Paulo? O ponto em comum entre essas duas “extremidades” é a centralidade da pessoa na visão do desenvolvimento.

O trabalho da ATST não se resume em possibilitar o acesso à casa própria, mas também, na conscientização das famílias para se mobilizarem na realização de um sonho. Esse processo que aposta no protagonismo da pessoa foi o que mais chamou a atenção da FUP. Para as duas instituições o trabalho é a máxima expressão do ser humano em dar forma à realidade, ou seja, tudo que a pessoa realiza tem o poder de transformar sua vida e a realidade a sua volta.

Atualmente, são mais de 31 mil famílias que já alcançaram essa meta, em 31 bairros periféricos da zona oeste de São Paulo e agora 18 cidades do interior do Estado estão avançando no mesmo processo.

A nossa hipótese inicial era oferecer microcrédito, e a partir daí fizemos uma profunda pesquisa de campo, entrevistando mais de 200 empreendedores para entender suas reais necessidades.

Ao final da pesquisa, ficou evidente que a oferta de microcrédito, já disponibilizada por várias instituições públicas e privadas, não não era efetiva pela carência de conhecimento desses microempreendedores, ou seja, poucos sabiam da possibilidade do microcrédito e muitos não conseguiriam o empréstimo por causa da burocracia necessária para acessá-lo. Desta forma, não conseguiríamos sair com a sensação de dever cumprido: uma vez que o microcrédito não era a única resposta às necessidades do nosso público…

Eles precisariam de mais conhecimentos sobre gestão do negócio para poderem sozinhos tornar-se sustentáveis.

Assim, com muita dedicação e reflexões sobre a melhor forma de impactar a vida dos microempreendedores, construímos uma jornada de parcerias, credibilidade e certificados, como o ITCMD e Direitos Humanos. Veja abaixo mais sobre a nossa história!

Destaques da nossa jornada

    • 2011

Início das nossas atividades como LTDA. para desenvolver de maneira inclusiva as periferias da Zona Oeste de São Paulo, com a hipótese de oferecer microcrédito aos microempreendedores.

    • 2013

Pesquisa sobre as necessidades do nosso público e desenvolvimento das nossas atividades atuais: apoiar os microempreendedores com capacitações e assessorias de forma totalmente gratuita.

Parceria com o Banco do Estado de São Paulo para oferecer microcrédito (com as taxas de juros mais baixas do Brasil).

    • 2015

Reconhecimento da Associação Aventura de Construir como organização de utilidade pública (OSCIP) pelo Ministério da Justiça. No mesmo ano foram criados a Diretoria e o Conselho Fiscal, e os balanços passaram a ser anualmente auditados;

Aprovação, por parte da Fondazione Umano Progesso, do plano orçamentário (2015 – 2019) adicional ao valor inicialmente previsto;

    • 2017

Captação de recursos adicionais para contratar uma consultoria para definir um plano estratégico de mobilização de recursos, que está em andamento no momento, com o apoio de consultores pro bono, como Accenture e outros profissionais especializados;

    • 2018

Entrada no Pacto Global, iniciativa que monitora e orienta a implementação da Agenda 2030 para alcançar os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Os ODSs nos quais a ADC traz um impacto de forma direta são:

    • Objetivo 1 – Erradicação da pobreza
    • Objetivo 4 – Educação de qualidade
    • Objetivo 5 – Igualdade de gênero
    • Objetivo 8 – Trabalho decente e crescimento econômico
    • Objetivo 10 – Redução das desigualdades
    • Objetivo 11 – Cidades e comunidades sustentáveis
    • Objetivo 13 – Ação contra mudança global do clima
    • Objetivo 17 – Parcerias e meios de implementação

No mesmo ano iniciamos uma parceria com uma fintech que viabiliza microcrédito. Diferentemente de um banco, a Firgun intermedia investidores e microempreendedores de uma maneira mais rápida, humana e menos burocrática, sendo mais uma alternativa para as necessidades do nosso público.