Voluntariado Corporativo com propósito: Compartir Vedacit

Imagem mostra a ilustração de um homem e duas mulheres trabalhando juntos, segurando peças de um quebra-cabeça. O título do artigo "Voluntariado Corporativo com Propósito, Encerrado o ciclo Compartir Vedacit" é exibido acima dos logotipos da Aventura de Construir e da Vedacit.

O segundo semestre de 2021 marcou uma experiência profunda para a AdC: rodamos, entre os meses de Julho e Novembro de 2021, nosso primeiro projeto de voluntariado corporativo.

Em parceria com o Instituto Vedacit, mobilizamos colaboradores da empresa para atuarem como mentores, doando parte de seu tempo de trabalho para microempreendedores acompanhados pela AdC.

O chamado “Compartir Vedacit” trouxe para a AdC grandes aprendizados, gerou valor concreto para os empreendedores e fortaleceu o senso de pertencimento entre colaboradores Vedacit.

No projeto utilizamos nossa tecnologia social, o método de trabalho AdC aplicado ao processo de assessorias, como base para a formação e acompanhamento dos voluntários.

Sabemos o quanto o dia-a-dia corporativo é corrido, razão pela qual toda jornada foi preparada de forma a valorizar e otimizar o máximo possível a troca entre empreendedor e voluntário, garantindo assim o atendimento dos objetivos centrais do projeto:

Capacitar microempreendedores a utilizar diferentes ferramentas de gestão de negócios; e desenhar soluções personalizadas que respondessem às problemáticas e dificuldades do negócio identificadas por cada voluntário em conjunto com a equipe AdC.

Foram 58 assessorias no período, contabilizando um total de mais de 115 horas doadas pelos colaboradores Vedacit, que tiveram uma média de 3,8 assessorias por voluntário.

A gestão geral envolveu, logo de cara, a pergunta: como melhor atender as necessidades dos empreendedores e melhor aproveitar o tempo dos voluntários? Em tempos de Tinder e Casamento às Cegas esse questionamento inicial se transformou em: como dar match?

O Instituto Vedacit apostou conosco nessa nova tecnologia: mapear as habilidades e conhecimentos dos voluntários de um lado e as necessidades dos empreendedores de outro para gerar, através dos dados coletados, as conexões mais propícias.

A inovação testada resultou em processos de assessoria efetivos em resultados ao mesmo tempo que estimulantes para ambas as partes, uma vez que havia sinergia entre empreendedor e voluntário.

Da parte dos voluntários, percebemos em seus relatos a valorização de encarar outras realidades, refletir e buscar soluções para problemas diferentes e colocar a mão na massa fazendo a diferença para o outro.

É o voltar ao trabalho com um novo olhar, ainda exercitando o gerenciamento de tempo na profissão. Além disso, foi notável o senso de pertencimento e orgulho em fazer parte de uma empresa que coloca em prática seus ideais.

Os empreendedores sublinham a importância da forma estruturada de se trabalhar trazida pelos voluntários Vedacit, conseguindo realizar muito mais com o destrinchar dos grandes objetivos.

Palavras como: foco, metas, organização e planejamento aparecem recorrentemente em suas falas. Em parte dos processos, voluntários prepararam planilhas financeiras especificamente para as necessidades da empresa. Outros evoluíram a elaboração de seus Planos de Negócio, enquanto outros projetos no papel desenvolveram seus modelos de negócios.

Prática de discurso de vendas, identificação de diferenciais competitivos, mapeamento de objeções… As entregas foram muitas, mas mais que entregas, Compartir foi sobre trocas. E para aprofundar nos detalhes dessas jornadas, com suas conquistas e obstáculos, fiquem ligados nas próximas Jornadas de Sustentabilidade, que trarão relatos do Compartir.

Para nós da Aventura de Construir, Compartir foi uma jornada de grandes aprendizados e inovações. A oportunidade de multiplicação de nossa metodologia, em especial o sexto ponto:

Atuar em rede, criando pontes e fortalecendo trabalho conjunto entre os beneficiários – numa visão subsidiária, desenvolvemos parcerias com empresas, ONGs e voluntários, que nos auxiliam em todas as esferas do trabalho para dispormos de ferramentas que respondam aos objetivos identificados, criando pontes e apoiando o público na construção, estabilização e crescimento de redes comunitárias que reforcem o protagonismos dos envolvidos em nossos projetos.

Face ao grande desafio imposto pelas desigualdades vividas pelos brasileiros e agravadas pela pandemia, fica evidenciada a necessidade de transformar comoção em ação, de construir em conjunto.

Possibilitar estes encontros, diminuindo distâncias e construindo pontes que geram valor real é uma honra. Este é o nosso propósito para a construção de um futuro melhor e expectativa para próximas Aventuras.

Se quiser saber mais sobre a experiência, não deixe de assistir ao encontro do GEVE (Grupo de Estudos sobre Voluntariado Empresarial) de outubro, oportunidade na qual compartilhamos nossa experiência, ao lado de Juliana Solai (Instituto Vedacit), Maure Pessanha (Artemisia), Ednusa Ribeiro (Coletivo Meninas Mahin) e mediação de Silvia Naccache (GEVE).

Admin Admin