Sustentabilidade financeira por meio de cabelos, cachos e madeixas

O salão de cabeleireiro Lia Hair, atualmente é especializado em cabelos naturais com público majoritariamente afro. A maioria dos clientes são da região do bairro de Pirituba, zona oeste de São Paulo, onde está localizado o empreendimento.

O negócio começou em 2007, quando Maria Eliane e sua irmã resolveram abrir um salão de cabeleireiro em sociedade, voltado para serviços convencionais de cabeleireiro e com objetivo de sustentar suas famílias. Em 2015, a empreendedora começa a tocar o empreendimento com o auxílio de seu marido na parte administrativa e filhos: Caio, na divulgação em redes sociais e gerenciamento das mesmas e Carla, que ajuda na administração do negócio.

Com o apoio da família, Maria Eliane começa em 2015 uma reformulação em seus serviços, criando um novo modelo de negócio, totalmente voltado para cabelos naturais ondulados, cacheados e crespos. Os serviços contam com orientação para tratamento capilar sem químicas, além de elevação da autoestima das clientes por meio da conscientização e valorização da beleza natural.

Folhetos promocionais do Salão Lia Hair (Autor: Caio Caputo)

Com a mudança no modelo de negócio, o Salão teve que se reinventar, pois tinha que buscar um novo público e o futuro era incerto, então foi natural que os serviços diminuíram e o faturamento também, mas os principais questionamentos foram: quando teremos o retorno esperado? Será que há público para suprir as demandas do salão?

Mas, a transição para os serviços para cabelos naturais deu certo e a empreendedora passou a fidelizar clientes com essa nova demanda de serviços, tanto é verdade que o faturamento mensal médio vem crescendo, pois em 2019 ultrapassou os 10 mil reais. Atualmente, mesmo em meio a pandemia do Covid-19, o faturamento mensal médio do salão está em mais de 70% comparado ao período anterior a pandemia, ou seja, um número razoável para um salão que ainda não retornou seu trabalho de estética, como era antes do período de pandemia, além de ter parte de seus clientes com receio de sair de casa. 

O faturamento mensal dos meses de reabertura do Salão Lia Hair no ano de 2020, mostram a evolução que o empreendimento vem conseguindo em meio aos inúmeros problemas do período. No mês de agosto o faturamento foi de 48%, setembro 85% e de outubro, mesmo antes de fechar as contas do mês, já é maior que os meses anteriores, cerca de 89% comparado ao período anterior a pandemia.

Os números apresentados demonstram uma evolução, mas não retrata a situação complicada que essa família enfrentou, em meio a crise econômica provocada pelo Covid-19. 

No mês de fevereiro 2020, Maria Eliane e Ilson Caputo buscaram ajuda para a gestão do negócio na sede da Aventura de Construir, em que relataram a dificuldade em gerir principalmente as finanças do salão.

Em meados de março de 2020, o decreto municipal pede o fechamento dos comércios de maneira presencial, situação que afeta diretamente as finanças e atuação do salão Lia Hair, pois os serviços capilares são realizados presencialmente, o que fez parar totalmente as atividades e consequentemente o faturamento do empreendimento.

Sem poder contar com os recursos advindo do salão, o casal Maria Eliane e Ilson pensou em realizar outra atividade, mas também não podiam sair de casa, já que estavam no grupo de risco da doença. A filha do casal havia saído do emprego recentemente e o filho, Caio, trabalhava com a gestão de marketing do salão. O que fazer diante desta situação?

A família buscou orientação na Aventura de Construir, por meio de assessoria jurídica e empresarial para enfrentar a crise. As assessorias jurídicas contribuíram na negociação do aluguel. As orientações empresariais foram cruciais, para que Maria Eliane participasse de projetos para campanha de doações financeiras (Matchfunding Enfrente e LEVILA), além do Fundo Emergencial para Mulheres Empreendedoras – FEME (Fundação Casas Bahia), Fundo de Apoio a Empreendedoras Periféricas (Grupo Pão de Açúcar/ Fundação Tide Setúbal) e o Auxílio do governo federal.

Os recursos captados totalizaram cerca de R$ 12.700,00 no período de abril a setembro de 2020. Uma média de R$ 2.000,00 por mês para enfrentar a crise econômica e o período de isolamento social. Os recursos conseguiram manter a família em suas necessidades básicas para poder retomar suas atividades, que voltaram em julho de maneira parcial, com serviços realizados apenas por meio de agendamentos e segurança sanitária necessária.

Por fim, Maria Eliane fez a transição de seu modelo de negócio com o objetivo de melhorar a vida e a autoestima de mulheres que não aceitavam seus cabelos naturais. Hoje está se concretizando no mercado da região de Pirituba como uma das referências em cabelos naturais. Embora o crescimento financeiro esteja ainda abaixo do mesmo período do ano de 2019, os últimos meses mostraram uma evolução nos números, que apresentam a sustentabilidade financeira do negócio. Este caso retrata bem, as dificuldades enfrentadas por empreendedores de todo o país e mostra também a importância do apoio aos empreendedores de pequenos negócios, seja em período de crises ou não.

Aventura de Construir