Saúde mental em tempos de pandemia

Tanto ouvimos falar deste tema, mas no que consiste exatamente? O que ainda podemos aprender?

A especialista Glaucia Rosana Guerra Benute, Pós Doutora em Psicologia Clínica com enfoque em Depressão e Ansiedade, compartilha hoje connosco os conhecimentos e experiência dela. 

A vida transcorria normalmente quando de repente o mundo pareceu “virar de ponta cabeça” e nossas vidas foram condicionadas a uma série de limitações. Para cuidar da nossa saúde e de quem amamos foi nos imposto o isolamento social, o distanciamento de pessoas queridas e o resguardo dentro de casa. Com isso, a atual pandemia fez com que nossas rotinas e prioridades fossem completamente reformuladas. Antes seria inimaginável pensar que estávamos tão expostos a um perigo que “mora em todos os lugares” e, pior, é invisível, não conseguimos saber onde exatamente se encontra e, por isso, não nos dá segurança para a defesa, para o afastamento, para a proteção. Assim, a vida nos colocou de encontro com o que talvez seja o maior medo que temos, o de morrer ou de perder quem amamos.

De forma impotente olhamos para o que está acontecendo  pedindo para que tudo passe logo. Na esperança de retomarmos nossas rotinas e nos encontrarmos com as pessoas que amamos, se possível, sem maiores perdas pelo caminho!

Tudo isso faz com que nossa saúde mental corra riscos. No entanto, cada um de nós apresentará reações emocionais distintas, pois tudo dependerá da nossa história de vida pregressa, de características pessoais, relações familiares e do que sentimos que estamos perdendo ou que podemos perder: pessoas, renda, trabalho, entre outros.

Com tantas alterações repentinas aliadas à incerteza que esta pandemia trouxe sobre nosso futuro, podemos ter sentimentos exacerbados de medo, estresse,  alterações do sono, dificuldade de concentração, irritabilidade pela perda de autonomia e da liberdade pessoal,  impotência em proteger pessoas queridas,  depressão, ansiedade.

É tempo de aprender a cuidar da nossa saúde mental que, por tantas vezes, foi negligenciada ou esquecida. Então a questão é o que posso fazer para, de alguma forma, cuidar da minha saúde mental?

A pandemia, que nos tirou tantas coisas, também deve nos possibilitar algumas avaliações em busca de alguma positividade.  Claro que dependendo da vivência que se teve ficará mais ou menos fácil fazer este exercício. A perda de um ente querido e a dor do luto tornará este exercício mais difícil de ser realizado neste momento.

No entanto, seguem algumas orientações para minimizar os riscos de desenvolvermos problemas de saúde mental:

– É saudável estar atento aos acontecimentos decorrentes da pandemia no Brasil e no mundo, mas informação demasiada durante a maior parte do dia pode ser considerada como fonte de estresse. Selecione momentos específicos do dia para se atualizar, sempre de fontes confiáveis e oficiais, mas não se exponha a informações constantes;

– Busque manter contato com as pessoas queridas se envolvendo e aprendendo a utilizar a tecnologia de forma lúdica;

Não se espelhe no que outras pessoas dizem que estão fazendo. Precisamos focar nas nossas possibilidades. Tente encontrar pequenos prazeres durante o dia;

– Busque se concentrar nas vantagens do isolamento. Trata-se de proteção pessoal e das pessoas amadas. Você é peça central na interrupção da pandemia. É uma oportunidade de aprender a conviver com você e se realizar com isso. É por tempo determinado, logo poderemos retomar nossos contatos familiares/sociais;

– Se perceber que sua saúde mental não está bem, sentindo medo exagerado, irritação, depressão, ansiedade, não tenha vergonha de buscar ajuda profissional. Muitos profissionais estão realizando atendimento a distância. Quanto antes você for atendido, mais rápido poderá se recuperar;

– Se estiver em trabalho remoto, faça pequenas pausas. Se tiver filhos que estão em casa e precisam de atenção, quer seja para ajuda na escola, quer seja para obter carinho, estabeleça certa rotina, com horários dedicados a estes momentos. Se estiver tranquilo quanto a esta necessidade não se irritará ou se sentirá culpado por ter feito uma pausa para outras necessidades, antes inimagináveis.

Esta situação de Pandemia que estamos vivendo é um grande desafio à nossa resiliência psicológica. Vamos encarar estes desafios e ter em mente que nossa saúde mental é tão importante quanto nossa saúde física.

Aventura de Construir