ODS em Pauta: Aventura de Construir e o ODS11 Cidades e comunidades sustentáveis

“Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”. Esse é o décimo primeiro objetivo traçado pela Agenda 2030 das Nações Unidas (ONU). Agenda 2030? Mas que conversa é essa?

Bom, se você já está por dentro do assunto, pode pular sua leitura para o próximo parágrafo! Mas se você ainda não ouvir falar em Agenda 2030, Pacto Global e Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS)… é melhor se atualizar antes para depois entender o que a Aventura de Construir (AdC) tem a ver com isso!  Temos um texto aqui no Blog que explica tudo isso direitinho, dê uma conferida por lá e depois volte aqui!

Esse assunto sempre foi importante para a AdC desde a sua criação e se tornou ainda mais crucial a partir de 2018, ano no qual nos tornamos signatários do Pacto Global, iniciativa proposta pela ONU para encorajar empresas e organizações a adotar ações que respondam aos ODS. Por conta disso, identificamos que quanto mais compartilharmos nossas experiências e nossos aprendizados, mais contribuirmos em atingir as metas traçadas. Por isso criamos esta série ODS em Pauta. 

Aqui, dedicamos nossa energia para mostrar como o nosso trabalho responde à determinados temas e metas da Agenda 2030, criada e coordenada pelo do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Hoje, vamos contar um pouquinho como atuamos em benefício do ODS11 Cidades e comunidades sustentáveis. Na AdC, sempre nos dedicamos a criar essa consciência nos nossos beneficiários, tanto que ao idear o Sistema institucional de Avaliação de Impacto Socioambiental consideramos fundamental desenvolver um indicador para medir este impacto

Dentre os microempreendedores acompanhados pela AdC, alguns se destacam por introduzirem em seus empreendimentos iniciativas socioambientais. Cada vez mais temos percebido que alguns beneficiários estão atentos à importância de uma atuação socialmente responsável, privilegiando ações de sustentabilidade tanto no modo pelo qual produzem algo quanto nos serviços que realizam. Nos últimos meses, duas empreendedoras nos chamaram muita atenção sobre esses aspectos.

A Fernanda Hitos, que até virou caso de sucesso no nosso Relatório de Atividades 2019, produz biojóias feitas com matérias prima da natureza de modo totalmente sustentável. Ela pensa em toda a cadeia de produção, respeitando o meio ambiente e seguindo todas as orientações e protocolos de não desperdício e uso de produtos não poluentes

Outro caso muito interessante é o da Sabrina Carvalho. Ela possui um mini mercado na região da Vila Aurora, mas também é pedagoga e inventou o projeto Mãos Unidas pela Educação, em 2018, com o objetivo de ministrar aulas particulares a baixo custo para crianças periféricas de 6 a 12 anos com defasagem escolar e promover acesso à cultura. Mas isso tudo parece não ter nada a ver com responsabilidade socioambiental, não é mesmo? A questão é… a Sabrina juntou seu conhecimento de pedagoga com sua visão empreendedora para criar um mecanismos de suporte à coleta de lixo reciclável em seu bairro!!! Boa educadora que é, Sabrina sabe da importância de disseminar boas práticas em relação à nossa cadeia de consumo e imensa produção de lixo. Para isso, ela criou no interior de seu mercadinho um ponto de coleta de recicláveis e, para alguns produtos (por exemplo, latas ou garrafas de cerveja), fornece desconto para o cliente que leva o engradado de volta ao estabelecimento ao invés de dispersar como resíduo no lixo comum. Ela fez disso um elemento de negociação com os seus fornecedores: ela entrega o lixo reciclável coletado e eles aplicam um desconto no lote de entrega para o mercadinho. Simples, mas muito eficaz!!!

Além deste apoio, a AdC também tem dedicado atenção ao desenvolvimento de parcerias que respondam às metas dos ODS e façam sentido ao Pacto Global. Exemplo disso é nosso termo de convênio com a AEAMESP (Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô de São Paulo). Neste caso em específico, estamos em convergência com a meta que prescreve apoio à “relações econômicas, sociais e ambientais positivas entre áreas urbanas, periurbanas e rurais, reforçando o planejamento nacional e regional de desenvolvimento”. Através desta parceria, a AdC pode fornecer dados à AEAMESP que permitam uma análise do público e seu uso do transporte público com o objetivo de desenvolver estratégias que favorecem e priorizem o consumo em território local a fim de diminuir a mobilidade urbana trivial ou mesmo desnecessária e, consequentemente, melhorar o índice de poluição das cidade. 

Isso tudo significa trabalhar em rede, unir os pontos e possibilidades para que possamos viver bem hoje e ainda melhor no futuro! Esse compromisso deveria ser de todos, e a AdC fica engrandecida por ter a capacidade de implementar e apoiar iniciativas como essas que trouxemos aqui. Ainda é pouco, mas queremos fazer muito mais e multiplicar iniciativas ao lado do Pacto Global! O principal é começar e a AdC já deu a largada!!! Ao leitor, fazemos o convite para você participar desta jornada conosco!

Se você chegou até aqui e quer aprofundar um pouco mais sobre a relação da AdC com outros Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas (ONU), te indicamos as seguintes leituras aqui no blog:

ODS1 Erradicação da Pobreza

ODS4 Educação de Qualidade

ODS5 Igualdade de Gênero

ODS8 Trabalho Decente e Crescimento Econômico

ODS10 Redução das Desigualdades

Boa leitura!!!

Aventura de Construir