Doe agora

Onde a organização brasileira é a melhor do mundo

Pontualidade, organização meticulosa, qualidade em excesso, coordenação, criatividade. Tirando a criatividade, não é normal mencionar essas virtudes em relação ao Brasil. Curioso porque, a cada ano, por pelo menos duas noites, o Brasil mostra picos de precisão organizacional sem comparação no mundo: são os desfiles do Grupo Especial das Escolas de Samba do Rio de Janeiro.

O desfile: o maior espetáculo do mundo

É, com certeza, o maior espetáculo do mundo. Cada escola mobiliza da três a cinco mil integrantes, e a cada noite desfilam 6 escolas. Qual outro espetáculo envolve assim dezenas de milhares de pessoas, para dois dias seguidos?

Escolas de Samba e de Organização de Empresas

Aos olhos dos turistas se destacam os carros alegóricos, aos olhos dos torcedores os detalhes dos passos da porta-bandeira, e aos ouvidos de todos, a bateria!
Mas, para quem trabalha no gerenciamento de empresas, o que – no final – deixa maravilhado é o nível e a qualidade da organização envolvida.
Todos sabemos o quanto é irritante e bagunçado jantar num restaurante em grupo de mais de 10 pessoas, como, então, é que 12 escolas conseguem organizar milhares em um conjunto harmônico, expressivo e empolgante? Não seria bom ver as nossas empresas trabalharem assim? Como é possível?

Os princípios de gestão empresarial finalmente aplicados!

Analisando um pouco, se vê que uma Escola de Samba se baseia sobre os mesmos princípios que são ensinados nas Escolas de Gestão Empresarial: a verdadeira diferença é que são tomados a sério!
A missão, por exemplo, é clara (“Vencer!”) e mobiliza cada integrante, de verdade. Ajuda também que a própria tarefa individual dê satisfação: desfilar no Sambódromo arrepia, não é?
Os valores são transmitidos de geração em geração: se vence com a criatividade, a alegria, a beleza, a empolgação, a sincronia… Com toda a sensualidade colocada a mostra, tentar vencer com a nudez seria considerado fora de lugar (e, de fato, se pode ver que em um desfile a nudez é inversamente proporcional a criatividade da Escola e aos resultados finais).
Tem alguém explicitamente dedicado a pensar na visão: o carnavalesco é a peça chave para o sucesso de uma escola, e o seu trabalho é – literalmente –definir como a Escola deve aparecer na Sapucaí.

Regras

Missão, valores e visão são a força motriz de uma empresa, e as regras e os padrões de qualidade são os trilhos. No desfile são claros, tem juízes que os aplicam, e nada escapa (é assim na sua empresa também?).

Pontualidade

Tem um cronograma e o desfile deve começar na hora programada e levar entre 65 e 82 minutos. Cada atraso ou cada minuto a mais ou a menos tem consequências. É assim no trabalho também, mas nos iludimos que não e aceitamos a desorganização: quanto custa o atraso de uma reunião? Calcula os salários dos participantes e avalia…

Preparação

Os ensaios das Escolas de Samba começam em setembro, mais ou menos. Para pouco mais de uma hora de show tem dezenas de horas de treinamento: ensinar, explicar, fazer, avaliar… e repetir, e repetir, e repetir. Não podemos achar que a qualidade venha de graça nas nossas organizações, precisa-se de dedicação, cuidado e – as vezes – formação específica.

Criatividade e organização

Uma última nota: achamos que a organização é chata e a fantasia e a criatividade são bacanas, mas o desfile é uma das coisas mais criativas do mundo e – ao mesmo tempo – uma das mais organizadas. É evidente então que organização, processos, preparação, papeis e regras são condições para a criatividade se expressar. Organização sem criatividade é chata sim, mas criatividade sem organização é inconcludente.

Silvia Caironi