DIA MUNDIAL DAS HABILIDADES DOS JOVENS

Comemorado na última quarta-feira (15/07), o Dia Mundial das Habilidades dos Jovens é um dia escolhido pela ONU para ser dedicado a lembrar a sociedade da importância do investimento na formação de qualidade dos jovens.

Vivemos um momento de pandemia, quarentena e muitas incertezas e, no meio dessa crise, é ainda mais importante que nossos jovens tenham qualidade na sua formação, pois eles são o futuro, eles representam o nosso OUTRO NORMAL.

A educação mudou e a qualidade de ensino também evoluiu, as oportunidades que existem hoje são melhores do que no passado, mas mesmo assim ainda existem cerca de 75 milhões de jovens que estão fora de uma instituição de ensino, e que tiveram as suas oportunidades de ensino negadas pelas circunstâncias vividas.

A população mais jovem representa uma parte muito significativa na sociedade e tem ganhado cada vez mais voz. Na política, no mercado de trabalho e em toda a comunidade. Eles são capazes de se tornarem porta vozes de uma fatia da população e com as redes sociais, podem ainda influenciar diversas pessoas.

No mercado de trabalho brasileiro, 32% do total de desempregados são jovens que tem 18 a 24 anos e muito em função da falta de preparação técnica e profissional para entrar em um mercado que é cada vez mais competitivo e moderno, precisando cada vez mais de empregados com qualificação técnica elevada para desempenhar sua função.

Os jovens são uma das fatias da população mais vulneráveis, a desocupação e a subutilização dessa parcela traz um sentimento de desânimo muito forte para eles, uma sensação de impotência e fracasso aos pais e uma sensação de perda de energia para a sociedade por formá-los.

Existem muitos fatores que são empecilhos para a entrada do jovem no mercado de trabalho, dentre eles estão a falta de experiência, o alto custo dos encargos e a insegurança do mercado como um todo. Um empresário, principalmente na situação em que vivemos opta pela contratação de alguém mais experiente para ajudá-lo no enfrentamento da crise.

E como podemos auxiliar esse jovem a entrar no mercado de trabalho? Como a sociedade pode agir em relação a isso? José Pastore é Presidente do Conselho de Emprego e Relações do Trabalho da FecomercioSP, diz que devemos agir nas duas frentes: proporcionar oportunidades de qualificação para os jovens inexperientes e diminuir os encargos trabalhistas, estratégia adotada em países avançados quando enfrentam crises de empregabilidade.

A Aventura de Construir trabalha também com jovens, muitos dos nossos microempreendedores viram na abertura do seu próprio negócio uma alternativa à geração de renda e também a realização de um sonho, sendo o “seu próprio chefe”.

Em um mundo cheio de transformações tecnológicas, os jovens ganham força no mercado de trabalho pela facilidade em lidar com essas novas tecnologias. Porém, ao mesmo tempo precisamos dar oportunidade de qualificação para essas pessoas, que precisam cada vez mais de formações técnicas e profissionalizantes para desenvolver cargos com salários maiores e também especificações técnicas cada vez maiores também.

Precisamos sempre nos lembrar dessa faixa da população que simboliza o futuro do planeta. Estamos realmente fazendo tudo que está ao nosso alcance para educar esses jovens?

Aventura de Construir