CUIDADOS NECESSÁRIOS AO SAIR COM A CRIANÇA DE CASA E O USO DE MÁSCARAS

Gleidis Roberta Guerra, Fonoaudióloga, Psicopedagoga e Neuropsicopedagoga

A Aventura de Construir, se preocupando com a retomada das atividades durante a pandemia e pós-pandemia, conversou com Gleidis Roberta Guerra sobre os procedimentos do uso de máscaras para crianças, confira a seguir!

CRIANÇAS ATÉ 2 ANOS

  • Segundo a ANVISA, não deve usar máscara, pois ainda não conseguem retirá-la sozinha caso necessite.
  • Isso vale também para crianças com dificuldades motoras importantes ou dificuldades de compreensão, que não tenham autonomia.
  • Se estritamente necessário sair, devem ser acomodadas em carrinhos de bebês, cobertos por tecidos ou pela própria proteção plástica do carrinho.

CRIANÇAS ENTRE 3 E 5 ANOS DE IDADE

  • Só devem sair se extremamente necessário, como para consultas médicas, não devem acompanhar os pais a serviços essenciais (farmácia, supermercado, etc).
  • Sempre que possível, carregá-las no colo, para que não toquem em coisas que podem estar contaminadas, ou mesmo brinquem com outras crianças que estejam no local.
  • As máscaras devem ter o tamanho adequado para o rosto da criança.
  • Se possível, com cores chamativas, ou com personagens que ela goste, vai ser mais fácil utilizar.
  • O uso de máscara é aconselhável, mas é necessário conversar com a criança e explicar o porquê do uso, explicando que devem evitar de tocar a máscara ou de retirá-la sem nenhum cuidado.
  • Após a chegada em casa, a criança deve ir para o banho e suas roupas serem lavadas.
  • Orientá-la em relação à retirada, para que não haja contaminação.

CRIANÇAS ACIMA DE 6 ANOS

  • A criança acima de 6 anos também deve ficar em casa sempre que possível, mas na necessidade de sair, deve usar máscara.
  • Nesse caso, a criança já tem maior compreensão tanto da realidade que estamos vivendo como da necessidade de fazer o uso da máscara.
  • Conversar e explicar a situação para a criança, quantas vezes forem necessárias, e de acordo com as perguntas que ela faz.
  • Sempre orientar em relação à colocação e retirada da máscara pelo elástico, para que não haja contaminação.

CRIANÇAS DO GRUPO DE RISCO

  • Assim como os adultos, as crianças que apresentam doenças pré-existentes também possuem um maior risco para contraírem a doença, e devem ter cuidados redobrados.
  • São consideradas crianças de risco as que possuem cardiopatias, problemas respiratórios, doenças imunodepressoras, obesidade, entre outras.
  • A manutenção do tratamento feito previamente é fundamental, mas todos os cuidados devem ser tomados ao saírem de casa.

CRIANÇAS COM TEA (autismo) ou outras que tenham dificuldade em aceitar o uso da máscara

  • Não coloque a máscara apenas na hora de sair de casa, vá colocando aos poucos, várias vezes por dia, pelo tempo que ela suporte, procurando aos poucos aumentar esse tempo.
  • Sempre que ela aceitar o uso da máscara, valorize, elogie, comemore junto com ela.
  • Faça esse processo de forma lúdica e divertida, isso tornará o seu uso uma grande brincadeira.
  • Respeite o tempo do seu filho, compreenda as dificuldades que ele apresenta, e só saia de casa com ele se for mesmo necessário.

E NÃO SE ESQUEÇA….

  • A criança tem um jeito próprio de compreender a fase que estamos vivendo, responda às perguntas dela de maneira sincera e respeitosa, assim ela se sentirá mais segura e confortável.
  • O que às vezes para o adulto é uma “bobagem”, para a criança é muito importante, como por exemplo não poder ir ao parque ou brincar com os amigos.

Valorize e esteja atento aos sentimentos que os pequenos apresentam, e se sentirem necessidade, não hesitem em procurar ajuda profissional, muitos psicólogos estão trabalhando de maneira remota.

Admin Admin