Consciência e ação – Atitudes que podem mudar o seu negócio.

Ser um microempreendedor significa que você será totalmente responsável por todas as decisões do seu trabalho, é uma junção de ser dono e funcionário, quem recebe e paga o salário, quem produz e vende o um produto ou serviço.

E por mais que seja tentador ser responsável por seu horário e seu trabalho, sempre há dificuldades.

Seria incrível se tivéssemos uma fórmula mágica para passar aos nossos microempreendedores que os poupasse de todos os problemas que vão surgir em sua jornada, fazendo com que todos tenham sucesso.

Porém cada caso é muito específico e o sucesso acaba dependendo de vários fatores, citando apenas alguns: ramo de atividade, produto/serviço, local adequado para desenvolver as atividades, concorrência e quantidade de dinheiro disponível para o empreendimento.

Tirando todas essas questões mais técnicas, há duas coisas que todo microempreendedor precisa ter: consciência e ação!

A consciência nos possibilita ter mais clarezas sobre nós e o que está em nossa volta, com ela interpretamos e imaginamos melhorias. Quando somos conscientes, significa que estamos pensando, normalmente em coisas que precisam ser feitas.

Já a ação traz todo o poder do consciente para a realidade. Não adianta apenas pensar em soluções e não fazer nada, sem contar que uma das formas mais eficazes de aprender é colocando a mão na massa, já que com a prática conseguimos assimilar melhor se tudo o que nos ocorre no inconsciente realmente pode ser feito com as nossas capacidades e ferramentas.

Para exemplificar a importância desses dois pontos, separamos a história de um microempreendedor que tivemos a honra de acompanhar e que conseguiu entender o poder da consciência e da ação.

João da Costa, de Minas Gerais, mora no Conjunto Habitacional da Turística (zona oeste da cidade de São Paulo) e desde 2015 tem um comércio de objetos usados, que abriu como uma forma de complementar sua renda. Seu emprego na época era de porteiro, mas nos momentos livres recebia produtos usados dos moradores da região para revendê-los (móveis, eletrodomésticos, brinquedos, etc.). Passou também a vender alguns objetos de papelaria, artigos de festa e quadros pintados por ele mesmo. Outro produto que vendia eram livros e CDs católicos distribuídos pela Canção Nova. A grande variedade de produtos, porém, deixava o espaço bagunçado e o fazia parecer menor do que já era (uma porta de garagem na sua casa).

Foi em 2016 que João ficou sabendo da Aventura de Construir, através de um anúncio na rádio, e a partir de então tem sido muito fiel às capacitações oferecidas. No entanto, por muito tempo não apresentou muita iniciativa para aplicar os conteúdos que aprendia e as metas que estabelecia nas assessorias.

Em 2018, para piorar sua situação, ele perdeu o emprego, e assim passou a depender completamente da renda do seu negócio, embora tenha recebido por alguns meses os benefícios associados à sua demissão. Mesmo com uma situação difícil, apresentava poucos sinais de mudança na questão organizacional; tinha vontade de se dedicar exclusivamente aos livros, mas o ambiente continuava parecendo um depósito de coisas velhas.

Até que, no terceiro trimestre de 2018, uma conversa mais demorada com os assessores da Aventura de Construir despertou nele uma consciência mais profunda sobre a necessidade de mudar e uma clareza de que ele não estava sozinho no processo.

No período de um mês, após alguns anos mornos, a mudança foi enorme: livrou-se de todos os objetos que mantinha lá e manteve apenas seu pequeno estoque de livros. Partindo do conteúdo das capacitações, agora com o espaço mais organizado, instalou um computador que tinha para começar a organizar as finanças e o estoque, também com a ajuda de tabelas feitas num caderno. Após mais uma assessoria, entendeu a necessidade de melhorar sua comunicação, investindo na divulgação de alguns livros por WhatsApp. Este é um ponto importante, pois ele é o único no bairro que vende conteúdo católico e tem um número grande de clientes potenciais, falta apenas que ele seja mais conhecido, pois os que o conhecem têm voltado com cada vez mais frequência. Também entendeu a necessidade de pintar o espaço e investir na beleza do ambiente.

O caso do João exemplifica muito bem como a mudança no negócio muitas vezes depende só de uma mudança de consciência pessoal e vontade suficiente para agir de acordo com o planejado. Em poucos meses ele transitou de um negócio desordenado, quase parado e sem potencial, para uma pequena livraria mais bonita, com mais clientes e com muitos projetos para o futuro.

É significativo ter em mente que tudo o que existe em seu negócio depende apenas de você, se errou ou acertou, se sabe bastante de algo ou se precisa aprender mais em outro ponto. Mas, se precisar de alguma ajuda, nós, do time da Aventura de Construir estamos à disposição para te ajudar porque construir juntos é a garantia de ir mais longe.

Lucas Bizerra