COMO ABRIR SEU PRÓPRIO NEGÓCIO EM MEIO A PANDEMIA?

A Jornada de Sustentabilidade financeira do mês de fevereiro de 2021, traz a trajetória do empreendedor Carlos Raposo. A história mostra o retrato de uma parcela da população brasileira que decide empreender no Brasil.

Definitivamente não é uma tarefa fácil sair  de uma empresa privada, seja por escolha própria ou por motivos de demissão,  após anos de trabalho assalariado e em seguida abrir seu próprio negócio. Ainda mais em tempos de crise econômica e incertezas no mercado, como o que estamos vivenciando neste momento.

Mas também sabemos que o empreendedorismo é um ramo repleto de desafios e um dos primeiros passos para superá-los e minimizar os riscos, é contar com um planejamento que se adeque às necessidades reais.

A história de Carlos Raposo mostra uma realidade de muitos brasileiros, segundo a Agência SEBRAE (2020), o número de empreendedores no Brasil cresceu e pode chegar a 25% da população adulta.

HISTÓRICO:

Em 2020, a AdC passou por mudanças na forma de atuação para atender a demanda de novos empreendedores no início e durante a pandemia e começou a realizar capacitações e assessorias por videoconferência.

O primeiro projeto realizado desta forma foi “A realidade empreendedora” financiado pelos parceiros do Instituto CCP e iniciado em junho de 2020. Se quiser saber um pouco mais sobre esta bela jornada empreendedora, basta clicar aqui e conferir um texto sobre a finalização do projeto no blog.

E foi assim que o encontro entre Carlos Raposo e AdC aconteceu! Carlos foi um dos participantes mais assíduos e ativos deste projeto. Ele relata que buscou o curso para desenvolver novos conhecimentos e montar seu próprio negócio.

Uma surpresa!!! O engajamento de Carlos aumentou a cada aula. Suas perguntas eram sempre pontuais e seu olhar muito atento para entender o contexto pelo qual se passava e quais eram as estratégias para superar as dificuldades. O objetivo dele era claro: empreender!

A mesma vontade que tinha em aprender, ele também sentia em compartilhar seus conhecimentos e ajudar outras pessoas.

Se em um primeiro momento, Carlos buscou a equipe da AdC com urgência para uma assessoria, devido a um investimento errado realizado na época (e foi atendido mesmo fora do cronograma como exceção), posteriormente, participou como voluntário de outras sessões de assessoria com os demais participantes.

Carlos foi olhado em suas necessidades e multiplicou esta atitude para com outras pessoas.

No mês de setembro, “A realidade empreendedora” chega ao fim, mas Carlos continuou participando dos projetos da AdC,  fortalecendo o seu vínculo como voluntário, levando conhecimento dentro das suas expertises.

Sempre enfatizamos a importância da rede de contatos, e aqui constatamos outro exemplo: entre os momentos de voluntariado, o empreendedor foi ministrar uma palestra na Paróquia São Pedro sobre “Técnicas de limpeza com equipamentos profissionais”, por meio do contato da irmã Maria (freira do local), que participava do “Projeto Crescendo em Rede” da AdC.

O PROBLEMA

Mas a história de Carlos começa no setor de serviços, onde trabalhou em uma empresa de venda de máquinas de limpeza por 14 anos. O empreendedor é desligado da empresa em 2020 e com os recursos financeiros recebidos devido aos direitos trabalhistas, ele resolve montar seu próprio negócio.

No primeiro momento foi seduzido a investir em um mercadinho de um colega. A situação não acabou bem: como não foram analisados os valores antecipadamente, com o suporte de uma avaliação profissional, a dificuldade financeira do mercadinho em honrar seus compromissos em dia foi questão de tempo.

Após a primeira assessoria realizada pelo consultor da AdC, a orientação foi que o empreendedor não investisse outros recursos financeiros no mercadinho, além de buscar um acordo para receber o que havia investido o quanto antes.

Também foi verificado que Carlos estava gastando recursos e que precisava equilibrar gastos com receitas, já que estava a mais de 6 meses sem trabalhar, “o dinheiro só saia e não entrava”, mesmo com serviços esporádicos de motorista para casamentos realizados com seu carro (atualmente Carlos não faz mais esse serviço).

Com essas dificuldades e a decisão de não investir mais no mercadinho, Carlos passou a pesquisar franquias para empreender com mais segurança, já que o suporte dado pelos especialistas das franquias tende a facilitar a gestão do negócio (Central do franqueado, 2020).

A SOLUÇÃO

Mas se engana quem pensa que Carlos Raposo optou por uma franquia, o empreendedor resolveu montar seu próprio negócio em meio a crise econômica,para isso revisitou profundamente os conhecimentos adquiridos no curso “A realidade empreendedora” e realizou uma pesquisas de ponto comercial, localização geográfica do empreendimento, clientes, produtos e profissionais necessários.

No mês de dezembro de 2020, o Kfé e Cia é inaugurado na Av. Ipanema, em Veleiros, Zona Sul de São Paulo.

Embora o empreendimento tenha apresentando nesses dois meses um  faturamento razoável para um pequeno negócio, a lucratividade do mês de dezembro foi nula.

Carlos já esperava por esses números, que são característicos para o início de um negócio, conforme sua avaliação e planejamento inicial, ainda mais considerando um cenário de pandemia de Covid-19.

Estes números não desanimam o empreendedor, pois ele se preparou para este cenário. Além de estudar formas para aumentar a clientela, levando em consideração todos os protocolos de segurança, realiza o controle de seus estoque e fluxo de caixa do empreendimento para assim, entender cada vez mais seu negócio e definir as melhores estratégias para garanti-lo firme e sustentável financeiramente.

É importante compreender a situação atual da economia e planejar as ações que serão realizadas em um negócio, sem abrir mão da pesquisa de mercado para minimizar riscos, além de manter o controle diário para saber o que precisa ser melhorado no negócio. Caso esses  itens não sejam levados em consideração, o problema pode ser potencializado.

Para começar um empreendimento é necessário além de um olhar técnico e prático, muita paciência e cautela. Valorizar os pequenos passos para avançar e garantir que os passos sejam firmes e assim permaneçam durante o tempo.

“Às vezes nós olhamos tanto tempo para uma porta que se fecha, que vemos muito tarde outra que está aberta.” Alexander Graham Bell

Algumas frases de Carlos que demonstram de forma prática sua cautela e responsabilidade em empreender:

“O atendimento é bom pelo retorno recebido dos clientes, tanto os retornos falados pessoalmente, como nas redes sociais, mas noto que pelo excesso de zelo no nosso atendimento, há uma certa ansiedade criada nos dos atendentes. Entendo como algo a ser melhorado, é preciso muita conversa e entrosamento da equipe. E é o que estamos fazendo.”.

“Foco em controlar melhor os produtos perecíveis, para que não tenha tantas perdas e o preço não seja transferido para o cliente”.

“Há vários pedidos para servir almoço, então neste momento não posso investir em uma cozinha, mas posso trabalhar com massas, que consigo trabalhar e servir como almoço, além de serem refeições rápidas”.

Redes sociais: @kfeecia

Página do Instagram da cafeteria:

Admin Admin