Caso de sustentabilidade

Partir da realidade

Em tempos de crise que conseguimos ver as ações decisivas dos empreendedores de pequenos negócios. Atitudes que podem levar ao sucesso ou ao fracasso, em momentos que não se pode errar. O acerto vem, antes de mais nada, da capacidade de enxergar na realidade atual soluções possíveis e da vontade de ajudar o próximo de alguma forma. Como dizia o célebre cientista Albert Einstein: “No meio da dificuldade encontra-se a oportunidade”.

A Oseni Doces

A empreendedora Oseni, moradora do bairro Cidade São Pedro, em Santana do Parnaíba, viu bem de perto como a crise do coronavírus podia acabar com o seu sonho, ou seja, fechar sua loja de bolos. Nesse momento a sua atitude foi “rápida e certeira”, pois um empreendimento que conta com poucos recursos e com baixo capital de giro, não pode esperar muito, pois cada dia de comércio fechado, gera inúmeros custos, como o aluguel, água, luz e as promissórias de produtos à pagar.

Oseni tomou uma decisão de negociar o aluguel com o proprietário do ponto comercial (protelar o pagamento do mês), mas sem sucesso, então ela tomou a decisão que muitos não tomariam, entregou o ponto comercial, tirou seus equipamentos e levou para sua casa. Nesse momento sua cozinha que foi projetada no início para produção de bolos e doces, volta a ser essencial, mas agora para a fabricação de ovos da páscoa.

Como dito no início, “no meio da dificuldade encontra-se a oportunidade”. A crise veio, mas o que posso fazer para superá-la? Com a ideia em que a época da páscoa se aproximava e as pessoas estavam em casa, Oseni teve o “start” para fabricar ovos sob encomenda, mas tinha um empecilho, como entregar o produto em tempos de isolamento social, tomando todos os cuidados? Nada como um perfil empreendedor ativo.

A empreendedora fabricou os ovos com toda higiene necessária, que já era de praxe em sua fabricação de produtos e começou a enviar mensagens pelas redes sociais informando sobre suas vendas, mas com um porém, quem encomendasse os ovos tinha que confirmar o horário de retirada, a forma de pagamento, cartão ou dinheiro e se precisaria de troco.

Toda atitude tomada na propaganda, visava o cuidado com a higiene, já que no horário marcado, Oseni deixava o portão aberto para o cliente entrar na garagem, lá havia um balcão com a quantidade de ovos encomendada, a máquina de cartão ou o troco se necessário, caso fosse pagamento em dinheiro, além do álcool em gel e a empreendedora observando a distância.

Com essa atitude, Oseni teve um faturamento que superou os 300%, que a fez também superar a crise, em tempos onde muitos fecharam as portas para nunca mais abrir e outros estão totalmente parados. A Oseni Doces conseguiu enfrentar este momento de  pandemia com atitude, pensamento rápido e lógico e, usando a oportunidade do momento para ter excelentes ganhos.

As mascaras do Wagner

Outro caso inspirador é do empreendedor Wagner Felix: Desde 2014, ele e sua mãe Neusa trabalham juntos com a confecção e conserto de roupas no bairro do Morro Doce, zona oeste de São Paulo. No começo, Wagner e um amigo desenhavam as peças e Neusa era responsável pela costura. Depois, os meninos vendiam os produtos na rua.

Durante uma das assessorias com Wagner surgiu a idéia de que ele vendesse suas peças na Paulista Aberta, uma feira que acontecia todos os domingos em São Paulo. Ele participou uma série de vezes, aumentou o lucro, se mobilizou e tirou a carteirinha de artesão: documento que garante que o artesão possa expor seus produtos legalmente.

Muita coisa mudou, o amigo saiu e ficou Wagner e Neusa. A loja de consertos de roupa aumentou e virou um ateliê, enquanto a mãe realiza o conserto de roupas e cuida da parte administrativa, Wagner desenha e faz roupas sob medidas. 

Durante a pandemia do novo coronavírus, Wagner e sua mãe alteram, como todos, alteraram o funcionamento e a lógica de suas atividades profissionais. Baixaram as portas do empreendimento e continuaram realizando as atividades comerciais apenas de forma parcial.

A decaída das vendas foi imediata e ao pensar qual seria a resposta para aquela realidade, eles identificaram a necessidade de produzir máscaras de proteção para vender. Seguiram todas as normas de segurança e juntaram a técnica que sempre tiveram com conhecimento novo. Logo todo o bairro já estava sabendo da novidade!

A alta qualidade do trabalho de Neusa e Wagner é reconhecido por todos, o ateliê possui sua marca atrelada a confiabilidade. Estas características sempre renderam bons frutos e agora não é diferente. Eles conseguiram, através de indicações, entrar em contato com uma grande empresa que buscava pela produção de máscaras de proteção por pequenos empreendedores. Após uma série de conversas, a empresa fez um pedido de 4.000 máscaras para Wagner e Neusa.

Para a conclusão do trabalho no tempo correto, ampliaram a rede de funcionários e empregaram o total de 10 pessoas. Segundo Wagner, eles escolheram pessoas que estavam vivendo uma situação de alta vulnerabilidade socioeconômica, como por exemplo, moradores da Favela do 16, Rosinha, entre outros lugares… Eles escolheram pessoas que estavam com seus aluguéis atrasados, sem emprego e sem condição de gerar renda no momento.

A equipe está conseguindo realizar o pedido com êxito, entregam a última leva de máscaras no sábado, dia 25/04. A iniciativa de Wagner e sua mãe fortalece o comércio local da região, gera emprego, renda e proteção para o bairro. Em meio de um cenário tão difícil, eles conseguiram praticar a solidariedade e viabilizar a sustentabilidade financeira do empreendimento. 

Não há receita milagrosa única para enfrentar esta emergência, mas os casos da Oseni e do Wagner inspiram, pois são exemplos vivos de atitudes corajosas de empreendedores que identificaram na realidade atual,  respostas concretas para seus problemas.

Aventura de Construir