Atitudes para ser mais produtivo e ter uma qualidade de vida melhor

O Blog AdC de hoje traz o texto de Alessandra Valladares, estudante de Ciências Contábeis na Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, a FECAP, sobre como implementar atitudes e hábitos mais saudáveis no nosso dia a dia.

A parceria da Aventura de Construir com a instituição tem como objetivo conectar estudantes do primeiro semestre de Administração com pautas do empreendedorismo social. A entrevista que realizamos sobre o projeto pode ser acessada neste link.

Atitudes e hábitos interferem na área profissional e pessoal de qualquer um, e com a chegada da pandemia, esse assunto vem sendo cada vez mais explorado, pois tivemos que abdicar de certos lazeres para ficarmos dentro de nosso próprio lar. O uso do tempo livre para aprimorar conhecimentos, praticar exercícios e ler um bom livro foi a alternativa encontrada por alguns, mas para outros, sem sequer perceber, estão sendo sugados por atividades que não  agregam em nada a longo prazo, apenas uma sensação de recompensa de curto prazo como por exemplo o mau uso das redes sociais. A catástrofe que estamos vivendo há mais de um ano, serviu para analisarmos onde podemos mudar para sermos pessoas melhores, seja na alimentação, no trabalho, no lar, na saúde ou disposição do dia a dia. 

Então se pergunte e reflita:

  • Eu estou utilizando meu tempo da melhor forma ou posso aprimorá-lo?

Às vezes certos costumes que nosso subconsciente utiliza para compensar o estresse diário,  não possui um discernimento do que é ou não benéfico.

Abaixo cito algumas atitudes para você prestar mais atenção daqui pra frente:

1. UTILIZAÇÃO CORRETA DAS REDES SOCIAIS: De uns anos pra cá, a internet tomou conta de nossas vidas e o que antes era uma ótima ferramenta para ligar ”culturas”, hoje virou uma armadilha de algoritmos para nos prender o maior tempo possível rolando as publicações abaixo. Quantas vezes antes de pegar no celular disse a si mesmo que  seria apenas uma olhada de 5 min, quando percebe já se passou 1 hora? O índice de depressão e ansiedade em jovens e adultos aumentou durante o período de confinamento, e as redes sociais contribuem negativamente para essa situação. Geralmente só postamos aquilo que queremos que as pessoas vejam, correto? Nas redes temos uma vida perfeita, família perfeita e um relacionamento perfeito. Diante das vidas surreais nos sentimos impotentes e incapazes, pelo fato de desejarmos ter uma vida igual. 

DICA: Remova da sua lista de amizades, aqueles que não têm o mesmo propósito que você e filtre apenas o que é do seu interesse e agrado. Ou se preferir, desative as redes sociais por um tempo, até que você esteja no controle, não o algoritmo e o seu dedo.

2. ANÁLISE SEUS HÁBITOS: Tudo aquilo que vemos, falamos, agimos, pensamos, ingerimos e escutamos estão relacionados com os  hábitos. Eles irão descrever o tipo de pessoa que é hoje, observando assim, onde deseja mudar para ser aquilo que você quiser ser amanhã. No início, todo novo hábito é forçado, pois não estamos acostumados a   praticá-lo e não conseguimos muitas vezes ver os resultados em curto prazo, mas a longo prazo será compensador tornando perceptível as mudanças em seu corpo, na sua mente, no seu humor e o aumento de sua produtividade.

DICA: Comece com um passo de cada vez, abraçar o mundo e querer pular dois degraus não resolverá e provavelmente seu corpo não irá dar conta de  tantas mudanças repentinas. 

3. PRATIQUE EXERCÍCIOS: Seja correr, pular corda, andar de bicicleta ou se alongar. Tudo que faça o corpo se mexer e sair de sua zona de conforto lhe trará múltiplos benefícios como:

  • Aumenta a disposição;
  • Libera endorfina: a qual promove a sensação de recompensa e bem-estar;
  • Melhora na qualidade do sono;
  • Controla o peso corporal;
  • Renova o condicionamento físico;
  • Controla a ansiedade e depressão, dentre outros.;
  • Diminuí o estresse

4. CUIDE DA ALIMENTAÇÃO: Você consome mais produtos artificiais e processados ou naturais? Nosso corpo pede aquilo que está acostumado a receber, porém,  é possível reeducá-lo quando desejamos. Tudo aquilo que ingerimos interfere no funcionamento e em nossa disposição. Já sentiu a diferença do seu organismo após comer um hambúrguer e batata frita ou um arroz com batata doce e frango? Ao consumir alimentos gordurosos, nos sentimos pesados e preguiçosos; e nas alimentações mais saudáveis, nos sentimos mais dispostos a cumprir com os  compromissos do dia. Ao beber água e refrigerante temos outra diferença enorme, somos como uma máquina que precisa ser constantemente lubrificada para o seu funcionamento, dependendo do produto, ela será mais eficaz ou não.

DICA: Como na questão dos hábitos, não mude bruscamente, pois o seu corpo irá sentir e não conseguirá acompanhar o ritmo da sua mente, você pode muito bem ter uma alimentação saudável consumindo aquilo que lhe         agrada. E também, permita-se ter um dia de lixo na semana e comer aquilo que tiver vontade, pois se alimentar bem não é sinônimo de passar vontade.

5. AMBIENTE: Os ambientes também interferem em todos os aspectos do nosso dia a dia. Os lugares onde frequentamos e onde moramos tem tamanha significância, uma vez que é onde ficamos a maior parte do tempo. Nesta quarentena não temos muitos refúgios e a maior parte do tempo não saímos, famílias estão tendo conflitos e a energia do local fica inapropriada para se ter paz e disposição para trabalhar com eficiência.

DICA: Não podemos mudar o ambiente onde estamos, mas podemos mudar nossa reação  perante determinadas situações. Saiba filtrar lugares, se aproxime de pessoas que realmente lhe coloque pra cima.

Toda vez que pensar em incluir algum hábito novo, não tenha aquela pressa de mudar rápido, é um processo repetitivo e persistente. De acordo com os estudos mencionados pelo psicólogo Jeremy Dean, Autor do livro Making Habits, Breaking Habits: Why We Do Things, Why We Don’t, and How to Make Any Change Stick, leva em média 66 dias para que alguém adquira um novo hábito, ou seja, comece a fazer algo que antes não era costume de maneira automática. Mas esse número é uma média e ele varia bastante de indivíduo para indivíduo e, claro, dependendo do hábito. Beber um copo de água antes do café da manhã demorou cerca de 20 dias para se transformar em hábito. Exercitar-se levou 84 dias para virar hábito para um dos participantes de um estudo.

Com tudo que foi exposto acima, devemos manter uma postura de constante alerta e, se desejarmos realmente mudar, basta querer e buscar um motivo plausível para que isso ocorra.

Nossa mente busca sempre refúgios, e nessas horas é que precisamos manter o foco e a disciplina, dizendo não às tentações!

Aquilo que nos parece “bom”, nos prejudica e aquilo que nos força sair da zona de conforto, nos aprimora.

Alessandra Valladares Dias Lima

Estudante de Ciências Contábeis – FECAP

Admin Admin