AS REDES SOCIAIS EM ÉPOCA DE CRISE

Em meio a crise do COVID-19 e da quarentena, as empresas estão tendo que se adaptar com a nova forma de trabalho que está se desenvolvendo. Trabalhar com portas fechadas, home office, sistema de entregas sem contato físico… e, para ajudar nesse momento, as redes sociais são ferramentas fundamentais nesse momento.

Nesse post, vamos apresentar algumas dicas e ferramentas que vão te ajudar nas postagens e no gerenciamento das redes sociais.

O primeiro é o Hootsuite que é gratuito e possui diversas funções imprescindíveis para o controle das suas redes. Com ele você consegue agendar os posts, postar em mais de uma rede social simultaneamente, ou seja, pode fazer o post em seu Instagram, Facebook e LinkedIn de uma só vez. O aplicativo ainda te mostra todos os lugares em que sua empresa foi mencionada em várias redes sociais. O Hootsuite te ajuda a manter o controle das suas postagens e das aparições da sua empresa na rede.

O Hubspot é uma outra ferramenta de redes sociais, só que mais completa e mais robusta que o Hootsuit. Em tempos normais, o Hubspot é uma ferramenta paga, mas em tempo de crise, o site liberou gratuitamente toda a usabilidade do aplicativo para os empreendedores. Com ele, além de conseguir agendar suas postagens e acompanhar as menções da sua empresa, você consegue mensurar o desempenho de cada rede social que a sua empresa utiliza individualmente e comparar o desempenho do seu negócio com o das redes sociais e, dessa forma saber onde investir melhor seu dinheiro e sua energia.

É claro que só utilizar boas ferramentas não fará com que tudo que você publique em suas redes funcione, para engajar seu público, é necessário entender que existem 7 níveis de engajamento. É uma teoria desenvolvida que pode te ajudar a engajar o seu público e trazer mais relevância à sua página online.

  • Desengajamento

Acontece quando a pessoa não tem o menor interesse no que você posta nas redes sociais.

  • Engajamento não-sistemático

Nesse nível, as pessoas não se sentem enquadradas na mensagem que você está passando nas redes ou não entendem essa mensagem por completo e por isso, desistem facilmente de se engajar.

  • Engajamento frustrado

A pessoa está interessada em entender a mensagem da sua página mas por alguma distração externa ou inabilidade, se frustra e perde o interesse rapidamente.

  • Engajamento dependente da estrutura

Esse acontece quando a pessoa se engaja apenas quando existe uma estrutura de perguntas e respostas planejada, ou seja, depende que a comunicação seja feita daquela forma para reagir (enquetes, perguntas, etc).

  • Interesse autorregulado

Esse é o tipo de engajamento onde a pessoa tem o real interesse na sua marca. De alguma forma, o que é postado completa parte dela interessada em interagir com a página. Geralmente é um interesse pessoal e não necessariamente com a sua página.

  • Engajamento crítico

Com a mensagem que você transmite pela página da empresa, você consegue que pessoas tomem atitudes que movimentem a vida pessoal delas, inspiradas por você.

  • Pensamento educado

O engajamento ideal. A interação com a sua página deve-se ao entendimento completo da mensagem, valores, sentimentos, conhecimento e experiências prévias que se alinham ao pensamento da sua empresa.

Analisando os 7 níveis citados, você consegue separar seus possíveis clientes e criar estratégias personalizadas para atingir cada nível de engajamento e ainda, sabendo onde esse seu cliente se encontra, você pode descobrir o quanto falta para chegar ao nível de engajamento ideal.

Entender os níveis de engajamento é importante para que você, como empresa, possa entender onde está o seu maior gargalo de engajamento e transformar sua realidade das redes sociais.

Utilize esse modelo e faça as mudanças necessárias. Online, as coisas mudam com frequência e com uma velocidade incrível. Precisamos estar sempre atentos à essas mudanças e acompanha-las em tempo real. Fique atento e seja parte da mudança!

E finalmente uma dica muito simples: neste momento o que conta não é que alguém nos diga o que fazer, mas que sempre saibamos o porque do que decidimos fazer. É o momento de se perguntar o porque de cada decisão e ação … somente assim poderemos responder a uma emergência que aparentemente nos supera, mas que tem dentro o potencial de fazermos crescer muito!

Aventura de Construir