7 de Setembro: Dia da Independência

Quem não lembra da época de escola, a Tia Lúcia ou Carminha contando sobre a Independência do Brasil? Que o Dom Pedro, montado em seu cavalo, bradou (sinônimo de gritou) às margens do Rio Ipiranga o famoso “Independência ou morte!”. Tem até a famosa pintura do Pedro Américo:

Vamos entender um pouco mais sobre esse processo? Por que olha, esse quadro e essa história tem alguns fatores por detrás da cortina que vale a pena sabermos: é conhecendo mais sobre nosso passado que podemos construir um futuro melhor!

A história que nos contaram quando éramos menores é a versão simplificada. Sabe, igual quando explicamos para as crianças de onde vem os bebês. Conforme crescemos, é importante exercitarmos um olhar crítico sobre nossa realidade, e isso envolve também sobre a nossa história.

Atiçando nosso olhar crítico, exercitamos uma capacidade muito importante: de questionarmos a realidade que vivemos e, percebendo incômodos, nos mobilizarmos para fazer a diferença da forma que pudermos! Aqui na AdC valorizamos muito o poder transformador do conhecimento para ampliar nossos horizontes. Conhecimento, uma vez adquirido, é nosso pra sempre. Por isso estimulamos os protagonistas da AdC, vocês, microempreendedores e leitores no geral, a buscarem se informar (verificando as fontes sempre, né pessoal?)! Perguntar, pesquisar e passar o conhecimento para frente.

Esse é o espírito do nosso trabalho, é isso que fazemos aqui com muita dedicação e paixão. Seja com capacitações técnicas, com conhecimento de ponta sobre A Realidade Empreendedora, feito em uma parceria maravilhosa com o Instituto CCP, ou na trilha de inovação social na qual participantes do Crescendo em Rede vêm transformando incômodos percebidos em seus entornos em negócios de impacto social, na Aventura de Construir esse conhecimento coletivo é estimulante e cheio de emoções!

Então, falando em emoções, vamos falar um pouco do processo de independência do Brasil? Quando vamos olhar eventos históricos é importante analisar o que se chama de contexto, ou na versão português direto, ficar atento ao que está/estava rolando no entorno do evento.

No grito da independência, por exemplo, o ano era 1822. Nós éramos uma das colônias de Portugal, mas não somente: a família real portuguesa residia no Rio de Janeiro desde 1807, quando Portugal foi invadido pelo exército de Napoleão Bonaparte e a família real veio fugida para cá. O Brasil passou então, em 1815, do status de colônia para reino.

Aí imaginem que, 5 anos depois, em 1820, eclodiu uma revolução em Portugal, a chamada Revolução Liberal. A família real precisava deixar o Brasil e regressar e assim iniciou-se o processo de independência brasileiro: uma parte da corte portuguesa queria reduzir o status brasileiro para colônia, e o pessoal por aqui não curtiu muito a ideia. Sentiu o drama?

Os pormenores dessa história são ainda mais curiosos, como o “mal-estar intestinal” (ou piriri) do Dom Pedro no dia do Grito da Independência, algumas puladas de cerca e outras coisas mais. O Eduardo Bueno do canal Buenas Ideias conta tudo num vídeo muito bem humorado (e com as devidas referências), vale a pena assistir!

Admin Admin