Doe agora

Venha conhecer como será o futuro e como preparar-se

Há poucos dias Mark Reuss, chefe do desenvolvimento da General Motors, anunciou, acesse aqui, que o grupo acredita que o futuro será, certamente, do carro elétrico. Não são apenas palavras: GM produzirá 20 modelos elétricos nos próximos 6 anos. Nesse mesmo período a Ford , leia a notícia, lançará 13 modelos. As maiores montadoras no mundo dão como certa essa mudança histórica. Imaginem o que isso significa para o mercado do petróleo e para o Brasil. Ao mesmo tempo, o Google apresentou os seus phones de ouvido, matéria na íntegra, que traduzem o áudio, em tempo real, de uma língua para a outra, como na ficção cientifica de Startrek.

Com três notícias assim, só na última semana, podemos concluir: o futuro está chegando muito mais rápido do que imaginamos.

Wayne Gretzky, o maior jogador de hockey no gelo da história, dizia que o seu segredo era correr para onde a bola estava indo e não onde estava naquele instante. Isso significa que ou tentamos antecipar os tempos, ou os nossos negócios e a nossa carreira serão dirigidos por forças externas, assim como ocorreu com os taxistas com a chegada do Uber. Pode ser que a nossa área não seja diretamente e imediatamente impactada, mas os efeitos vão chegar até nós: aumento da competição, diminuição do poder aquisitivo dos nossos clientes… ou, quem sabe, queda nos nossos custos e possibilidades de novos mercados!

A inovação abre novas oportunidades, por exemplo: aprender nunca foi tão barato graças aos cursos online, assim como a comunicação com os clientes através do Facebook e Whatsapp, vender online também se tornou mais fácil através de sites como MercadoLivre e OLX. Uma vez que se entende o que precisa, achar e usar uma ferramenta é fácil. O Sidney, por exemplo, é um cabeleireiro ativo no bairro da Turística que usa um sistema para lembrar o cliente do horário marcado via SMS. O cliente até pode ver se há horários disponíveis em cima da hora.

Ficar antenado e ser curioso sobre as mudanças que vemos (e conhecer o inglês) são atitudes que estão virando sempre mais importantes. Aprender algo novo faz parte das tarefas semanais, portanto escolher o que aprender e quanto tempo dedicar são habilidades chave.

Além das atitudes e das competências, uma grande riqueza nesse tempo de mudanças aceleradas são as relações pessoais, o valor de conhecer alguém que possa te indicar um bom curso, ajudar a entender como está evoluindo o mercado ou dar um parecer sobre uma nova ferramenta fácil e útil. O empreendedor Roque, dono de uma mercearia, ao invés de baixar os preços como todos os seus concorrentes, decidiu reagir à crise focando nas 50 famílias mais próximas, estreitando os relacionamentos e os serviços individualizados para aumentar a fidelização. Como todos os especialistas confirmam, negócios baseados pela empatia serão, provavelmente, os menos impactados pela inovação.

A capacitação da Aventura de Construir de outubro quer auxiliar nesse contexto. Vamos interagir com Vaney Fornazieri, diretor da Seepix Digital, uma agência de comunicação digital de São Paulo. Além de trabalhar há anos em um setor de mudanças grandes e rápidas, ele nos vai contar o que é viver hoje no Vale do Silício na Califórnia (uma pequena antecipação: lá não tem só carros autônomos mas – entre mil outras coisas – drones que entregam as compras e comida produzida em laboratório) e como ele está se preparando para o futuro.

Carlos Henrique e Adriano Gaved